Proposta de livre acesso de personal trainers em academias gera divisão de opiniões entre representantes do setor fitness.

A proposta de garantir o acesso dos personal trainers às academias para acompanhar o treino dos alunos foi tema de debate na Comissão de Esporte (CEsp) recentemente. O Projeto de Lei 4.717/2020 gerou opiniões divergentes entre os representantes das academias e os profissionais da área.

A discussão foi marcada por argumentos contrários e favoráveis à proposta. Para o presidente da Associação Brasileira de Academias, Ailton Mendes, a liberação do acesso dos personal trainers pode aumentar os riscos para os estabelecimentos. Segundo ele, isso pode gerar problemas de segurança e de controle sobre quem frequenta o local. Por outro lado, o professor de educação física Marcello Barbosa defendeu que as taxas cobradas atualmente pelos estabelecimentos são abusivas e que a presença dos personal trainers poderia beneficiar os alunos.

O senador Romário, do PL-RJ, que preside a CEsp, afirmou que buscará um acordo para apresentar um relatório sobre o projeto do senador Jorge Kajuru, do PSB-GO. A intenção é conciliar os interesses das academias, dos personal trainers e dos alunos, visando ao melhor resultado para todos os envolvidos.

O debate sobre o acesso dos personal trainers às academias reflete a importância da regulamentação e do diálogo entre os diversos setores envolvidos na prática de exercícios físicos. A busca por um consenso e por soluções que beneficiem a todos é fundamental para garantir a qualidade e a segurança dos serviços prestados nesse segmento. Aguarda-se, portanto, o desenrolar desse debate para saber quais serão os desdobramentos dessa proposta controversa.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo