Deputados discutem disponibilização de insulinas análogas no SUS para pessoas com diabetes tipo 1 em audiência pública

Nesta quinta-feira, dia 13 de junho de 2024, a Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados realizará uma audiência pública para debater a disponibilização de insulinas análogas de ação rápida e de ação prolongada no Sistema Único de Saúde (SUS) para pessoas com diabetes tipo 1. A audiência foi solicitada pelo deputado Bruno Ganem (Pode-SP) e terá início às 9 horas, no plenário 7.

Segundo dados de 2021, 15,7% da população entre 20 e 79 anos no Brasil apresentava diabetes. Esta condição, caracterizada por um grupo variado de distúrbios metabólicos que resultam em hiperglicemia, pode levar a complicações graves como retinopatia e neuropatia.

Após intensas lutas das associações de diabetes e da Sociedade Brasileira de Diabetes, o Ministério da Saúde reconheceu a eficácia da insulina análoga de ação rápida como o melhor medicamento para tratar pessoas com diabetes tipo 1. Embora tenha sido incorporada ao SUS em 2017, houve atrasos no acesso a esse medicamento pelos estados, que só começaram a disponibilizá-lo no fim de 2018.

No entanto, o deputado Ganem aponta um problema de desperdício de recursos relacionados à disponibilização da insulina análoga de ação rápida no Componente Especializado do SUS. Segundo ele, milhares de canetas dessa insulina foram desperdiçadas devido a burocracias na retirada, resultando em prejuízos para o sistema de saúde.

Mesmo após denúncias de desperdício, o Ministério da Saúde criou um grupo de trabalho para estudar mudanças na distribuição da insulina, porém essas mudanças ainda não foram implementadas devido a diversos fatores, como a falta de infraestrutura adequada nas unidades de saúde.

Em 2021, o Ministério da Saúde adquiriu insulina análoga de ação prolongada, considerada mais barata. No entanto, a Sociedade Brasileira de Diabetes criticou essa escolha, alegando que o usuário não tem acesso há quatro anos à insulina mais eficaz devido à falta de compreensão do Ministério da Saúde em relação ao valor do medicamento.

O debate sobre a disponibilização de insulinas análogas de ação rápida e prolongada no SUS é de extrema importância para garantir o tratamento adequado e a qualidade de vida das pessoas com diabetes tipo 1 no Brasil. A audiência pública promovida pela Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados será um espaço fundamental para discutir e buscar soluções para essa questão urgente da saúde pública.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo