Família de indigenista assassinado no Amazonas faz vaquinha online para tratamento do filho com câncer.

A família do indigenista Bruno Pereira, brutalmente assassinado em junho de 2022 no Amazonas, está enfrentando outra batalha desafiadora: salvar a vida do pequeno Pedro, filho de Bruno, que foi diagnosticado com um neuroblastoma em estágio 4, uma condição oncológica grave. Para arcar com os exorbitantes gastos do tratamento de Pedro, a família iniciou uma vaquinha online, que já arrecadou mais de R$240 mil, mas o objetivo é chegar a R$2 milhões.

Pedro é filho de Bruno com a antropóloga Beatriz de Almeida Matos, e a mãe, em um texto que descreve a iniciativa, destacou a luta incansável de seu marido na defesa dos povos originários da Amazônia. Bruno foi assassinado perto da terra indígena do Vale do Javari, em Atalaia do Norte, ao lado do jornalista britânico Dom Phillips. A Polícia Federal concluiu que o mandante do assassinato foi o traficante Rubens Villar, conhecido como “Colômbia”, suspeito de liderar uma organização criminosa de pesca ilegal na região da Terra Indígena Vale do Javari, na fronteira do Brasil com Peru e Colômbia.

A comovente mensagem que acompanha a arrecadação destaca a dedicação de Bruno à defesa da Amazônia e dos povos indígenas, e apela para a contribuição de todos na batalha pela vida de Pedro. A mãe também compartilhou a arrecadação em uma rede social, resultando em mais de 2,6 mil doações até o momento.

Para realizar a doação, basta acessar o link do site da vaquinha online, inserir os dados pessoais, indicar o valor da contribuição e escolher a forma de pagamento, que pode ser cartão de crédito, boleto bancário ou Pix.

A comovente história de Bruno, Pedro e sua família tem mobilizado milhares de pessoas, demonstrando solidariedade e empatia em um momento de extrema dificuldade. A batalha pela justiça pela morte de Bruno continua, mas agora a luta é pela vida de Pedro, e a mobilização de todos pode fazer a diferença.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo