Metade das peças falsas de motores CFM56 que equipam Airbus A320 e Boeing 737 foram retiradas de serviço, anuncia CFM International.

Mais da metade dos motores CFM56, que equipam as aeronaves Airbus A320 e Boeing 737, foram retirados de serviço devido à presença de peças falsas. A informação foi divulgada hoje (24) pela CFM International, empresa fruto de uma parceria entre a General Eletric e a Safran. Essa suspensão temporária da operação dos aviões ocorre como forma de garantir a segurança das aeronaves e dos passageiros.

De acordo com a CFM International, cerca de 145 motores CFM56 foram identificados com peças falsas. No entanto, é importante ressaltar que essa quantidade representa apenas uma fração dos mais de 22.600 motores CFM56 em funcionamento em todo o mundo. A empresa está trabalhando em conjunto com as companhias aéreas e demais operadores para mitigar os efeitos desse problema.

A fabricante realizou uma revisão da documentação da fornecedora britânica AOG Technics, responsável pela entrega das peças. Nessa análise, foram identificados 180 documentos falsos, referentes a 124 peças. Essa evidência foi apresentada às autoridades competentes e a CFM International está colaborando com as investigações em curso na justiça britânica.

A identificação das peças falsas ocorreu em julho passado, quando técnicos suspeitaram da qualidade desses componentes e dos documentos fornecidos pela AOG Technics. Uma investigação minuciosa confirmou que os dados presentes na documentação eram falsificados e não haviam sido comunicados aos reguladores responsáveis.

Diversas companhias aéreas de vários países estão realizando um rastreamento minucioso de suas frotas e já identificaram dezenas de peças falsas nos motores CFM56. Esses motores são considerados um dos mais vendidos na história da aviação comercial.

Para corrigir esse problema, todo o processo de avaliação das peças e substituição das mesmas está sendo coordenado diretamente entre a CFM International e as oficinas de reparos e manutenção (MRO). Já foram realizados os devidos reparos e algumas aeronaves já voltaram a operar normalmente.

É importante ressaltar que a CFM International está levando esse problema muito a sério e está atuando de forma rápida para resolver essa situação e garantir a segurança dos passageiros e das aeronaves. A colaboração com as autoridades competentes e com as companhias aéreas é fundamental para que esse incidente seja solucionado da melhor maneira possível. Assim, espera-se que todas as peças falsas sejam retiradas de circulação e que medidas sejam tomadas para evitar que situações como essa ocorram novamente.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo